13.3.07

Desconcertando ilusões...


... me ouvi pensando sobre algo, que nunca antes houvera de ouvir, ou melhor, pensar. Pensei: se algo me governa, qual força absoluta de tudo o quanto penso que sei e que faço/penso por vontade/se acho que a vontade possa ser minha, meu somente é o achar, se tanto.../querendo ser côr e não verso, tinta ao invés de rima/tela mais que canção clara/adentro o vazio desse calabouço ambíguo, senão mais que isso.../pra mais que som de virtus aclamar/encontro outra vez a velha dama, envolta em chama quente e flamejante/e deste ponto em diante me interrogo/fôra tela viva por autor de gênio antigo/insirado pela sendas do invisível/tal como tela mais bonita/qual cor e textura seria?/qual brilho me abrolharia?/se sombras, de qual tom?/se giz que consistência?/se acrílico será lirismo?/aquarela se desbota/grafiti trespassado/cordel despedaçado/rapsódia dissonante/letra quebrada em verso cortado/palavra música/ frase/som/morte/vida/arte/vi da arte/arte viva/nunca destas antes vista.




Imagem digital de foto ou cópia ou foto de cópia da obra "O velho guitarrista" de Plablo Picasso

2 comentários:

Lira Turrer disse...

Fazia tempo que não vinha aqui e gostei muito das alterações, dos textos (lindos!) e das novidades... Parabéns! Muito bom mesmo! Beijos

Lella disse...

Meu irmão é mesmo o cara...tantas indagações tão mais profundas e importantes do que um mero "de onde vim para onde vou" respeitando as indagações de todos é claro, mais sobressaltando mais ainda, as que de fato se procura a resposta..
Parabéns nenem.