6.11.06

O que seria da opinião sem Einstein e a Relatividade (ou "FreeYourMind")




Quando pensei em focar o “SegundoSentido” à assuntos musicais, sabia que seria uma missão complicada, visto que opiniões e gostos na música assim como na vida em geral, trazem conflitos e discussões. Ponderei, porém, que além de conflitos e discussões, pode ser a oportunidade de também gerar o bom debate e o amadurecimento de pontos de vista (inclusive e principalmente, desse que vos escreve)

Certa feita, escrevi algo a respeito do que penso sobre qualidade musical x gosto musical - que na minha visão têm diferenças essenciais - e recebi um comentário muito valoroso que me lançou o olhar para algo que sabia que estava lá, mas não soube manifestar de forma clara. O que tento fazer nesse texto.

Veja bem, acredito que a manifestação cultural "música", deve ser de qualidade, deve ser bem produzida, “talhada” e esculpida, mas essa qualidade, que não se trata de um atributo da criatividade ou do lirismo, não pode ser confundida nem ditada, como restrição à qualquer forma de expressão sonora.

Por exemplo, conheço Forrós bem feitos, caprichosos e forró meia boca, feitos por fazer, da mesma forma como o gênero musical virtuoso por si, a MPB, têm seus veios displicentes e desajeitados.

Ainda escreverei algo sobre a música como manifestação cultural e a música como entretenimento que aí sim, parafraseando Rita Lee e Roberto de Carvalho, falaremos sobre o que é luxo e o que é lixo, e veremos que nem sempre a ordem para essas definições é “Luxo = bom” e “Lixo=Ruim”. Teremos muito pano pra manga (risos).

Gostaria ainda de me desculpar pelas ausências sistemáticas, que ocorreram por motivos técnicos (do blog) e operacionais (desse “pseudo-escrevedor”).

Acabou o feriado, mas logo têm outro, mantenham a calma.

Abraços e um “Valeu!” de coração por escolherem esse SegundoSentido.

BG.

Um comentário:

Lira Turrer disse...

E dá-lhe pano pra manga!! Adoro esse assunto! É uma discussão bacana e inexaurível!
Bjs!