11.10.06

Além do que se vê! - (Arte ou a Guerra)



Ei!

Ontem escrevi esse texto, mas não deu tempo de postar, posto-o agora.

Abraços.
-----------------------------------------------------------------------------------------------

Estes dias estive lendo sobre a aplicação da nanotecnologia na comunicação, buscando o viés musical da coisa.
Nanomicrofones com sensores de afinação, praticamente virtuais que podem estar tanto no seu relógio como fixados naturalmente no centro da sua testa e pescoço, alinhado a laringe.
Não bastasse, surge a convergência da biotecnologia com a nanotecnologia, a chamada Nano-biotecnologia, é mole?!.
Dizem que daqui a algumas décadas o vocalista, um tenor, por exemplo, poderá fazer uso de um spray com partículas de substâncias orgânicas carregadas por nanobiorobôs - feitos com o DNA de suas células tronco- que limparão, farão a maior faxina nas cordas vocais, aplicarão protetores com vitaminas para evitar que uma possível "barbeiragem" vocal, danifiquem seu precioso instrumento.
É paradoxal o quanto o futuro pode ser tentador e aterrorizante ao mesmo tempo, desenvolvemos o aprimoramento da arte, das medicinas curativas, que podem salvar milhões de vidas, mas ao mesmo tempo, com a mesma tecnologia e com mais empenho intelectual e financeiro, produzimos armas biológicas e tecnológicas de alto poder letal.
A arte nas suas mais variadas formas, mas especialmente através da música, propõe e estimula o desenvolvimento da humanidade em quem com ela têm contato.
Abrs.
BG.

Um comentário:

Marcos Aranha disse...

BG, você é um louco que conheci criança e vejo teu caminho iluminado.
Não tenho palavras pra te dizer do carinho que tenho por ti.
Enquanto isso continuo te amando da minha forma.
Que Deus te "alumie" sempre, grande amigo